X [contact-form-7 404 "Not Found"]

De um bom tema nem sempre sai uma boa palestra

De um bom tema nem sempre sai uma boa palestra

Muitas vezes, mesmo que você tenha algo útil e interessante que dizer, se você conta isso sem usar o tono adequado, sem criatividade ou de uma forma muito teórica, então a mensagem perde força e não é transmitida adequadamente.

Numa palestra é mais importante como se diz do que o que se diz.

Claro que o conteúdo é importante, mas não cuidar da forma, do como se diz é como tentar vender um whisky de 12 anos embalado numa garrafa de água cândida. Outra coisa importante é não saturar aos assistentes com um excesso de informação teórica. Vivemos na era da informação e com um simples “click” qualquer pessoa pode acessar a infinitos dados sem a necessidade de assistir uma palestra. Sem contar que o cérebro se bloqueia a partir de um determinado número de inputs recebidos. Por isso terão sucesso os palestrantes que incluam dinâmicas com a participação do público para que este possa “experimentar” na sua pele a informação recebida.

Portanto, se você quer fazer chegar a sua mensagem de uma forma diferenciada da concorrência, terá que ser criativo e ter coragem suficiente para se arriscar e chamar a atenção do público.

Não abuse do Power Point

O Power Point deve ser usado somente como um apoio visual que ilustra o que está sendo transmitindo e não para substituir o transmissor. O conteúdo tem que sair de dentro do palestrante e não do projetor. Eu cheguei a ver palestrante que além de dar o protagonismo para o telão, se submete a ele, lendo em voz alta para toda a sala o que todos já estão sendo obrigados a ler. Como ilustração que são do seu argumento, os slides deveriam conter mais imagens que palavras já que as palavras devem sair de você.

Cada um de nós tem basicamente três sistemas representacionais, ou seja, três formas de representar a realidade que percebemos. Elas são auditivas, visuais ou cinestésicas.

Por tanto uma boa palestra tem conter estes três elementos: boa informação auditiva para captar a atenção de pessoas auditivas, elementos emocionais para as pessoas mais emotivas e boas imagens para atender ao público visual. Neste item é que é importante o PP, pois te possibilita apresentar imagens que favorecem a percepção das pessoas visuais.

Mesmo assim é aconselhável não abusar do número de slides numa apresentação porque demonstra muitas vezes o grau de insegurança do palestrante, que pode estar se escondendo detrás de um excesso de informação para parecer mais interessante. Com o passo do tempo, esse costume pode fazer com que nos acomodemos na dependência do power point, e deixemos de crescer como comunicadores.

Uma chave de ouro

E por falar em comunicação, apesar de existir inúmeras técnicas para se expressar adequadamente, eu destacaria que a mais eficiente de todas ainda é a originalidade. Nunca tente copiar o estilo de outro, ou querer ser o que você não é. Parta do princípio que você tem alguma coisa importante e útil para contar e ao fazê-lo você se sente feliz e útil para a sociedade. Conta desde a sinceridade, como se tivesse contando para um amigo, melhor ainda, como se tivesse contando para sua mãe, ela é como o público: muito difícil de enganar, principalmente quando você está querendo dizer algo que não tem a ver com a tua verdade.

Por tanto, sinceridade, originalidade e criatividade são três chaves para que você possa fazer chegar a sua informação com eficiência para o maior número de pessoas.

Saudações e boa semana,

Rafeek Albertoni

Consultor, coach e ilusionista

COMENTARIOS

Deja tu comentario